ADORO SABER QUE TENHO UMA ESPOSA PUTINHA.

Sou o Hugo, tenho 30 anos e sou casado com Dalva que tem 24. Recentemente fui transferido para a filial da uma fбbrica onde trabalho como gerente de produзгo, em uma cidade do interior. Toda a cidade gira em torno da fбbrica e tem poucos locais pra diversгo: Poucos bares; um cinema bem pequeno; um campo de futebol e um clube atй bem estruturado que pertence a fбbrica e frequentado pelos funcionбrios mais graduados. Logo no primeiro dia em que fui ao clube com minha esposa, ela jб causou um impacto ao trajar um minъsculo biquнni (fio dental) que muitos na cidade nгo estavam acostumados a ver. Dalva, alйm de uma linda mulher, tinha um corpo estrondoroso: Morena; seios fartos; bumbum perfeito e coxas maravilhosas. Notei que os homens a comiam com seus olhares e as mulheres faziam caras feias… Nгo senti ciъmes; pelo contrбrio, me senti um Rei todo orgulhoso desfilando com sua linda rainha. Quando comeзamos a praticar tкnis na quadra do clube com Dalva trajando uniforme apropriado (blusa e minissaia brancas), que dependendo de seus movimentos aparecia atй sua calcinha, tinha atй platйia pra nos assistir… Dalva parecia nem se importar com tantos olhares. Em uma festa no clube, Dalva foi com um vestido tubinho vermelho que realзava todas as suas curvas e bem decotado que deixou muitos homens de boca aberta. Foi nessa festa que conhecemos o prefeito (vou chamar de Daniel) que tambйm era um grande fazendeiro. Daniel nos convidou pra sentar na sua mesa com sua esposa Eva… Daniel, apesar de ser um homem de poucas instruзхes era atй bem simpбtico. Depois de algumas danзas e de ingerirmos alguns copos de bebidas, Daniel me pediu se podia danзar com a Dalva… Nem eu, nem Dalva tivemos como negar. Fiquei sentado ao lado de Eva; que parecia nem se importar com o marido, sб olhando os dois no meio do salгo e o Prefeito dando o maior amasso na minha esposa com uma de suas mгos quase na sua bunda. O pior que notava que a conversa entre os dois devia estar bem interessante; Dalva olhava pra cima (Daniel era bem alto), e sorria pra ele… Confesso que senti uma pontinha de ciъmes. Voltando pra casa: – O que vocк e o Daniel conversaram?… : – Nada de mais meu amor, fofocas de uma cidade pequena!… Sorri pra nгo demonstrar que estava com ciъmes: – Pra danзar com vocк ele te apertou bem, nгo foi?… Ela me olhou: – Ficou com ciъmes?… Fingi: – Claro que nгo! Sб achei estranho ele ficar com a mгo quase na sua bunda e vocк nem se importar!… : – Hahahaha! Tб com ciъmes e nгo quer confessar!… : – Nгo й ciъmes; sб gostaria que vocк nгo me escondesse nada!… : – Tб bom meu amor, vou falar a verdade; o Daniel й muito safado!… : – Й???? O que ele fez?… Ela olhando pra ver a minha reaзгo: – Ele disse que sou muito bonita e muito gostosa!… Procurando nгo me alterar: – E o que mais???… Ela voltando a rir: – Ele ficou bem excitado!… Parei o carro jб no portгo de casa e olhei pra ela com cara feia: – Calma meu amor! Nгo tive como nгo perceber danзando com ele e ele me apertando daquele jeito!… Senti uma mistura de ciъmes e excitaзгo: – Porra Dalva! Acho que mais da metade dos homens dessa cidade andam te desejando!… Ela me beijando e passando a mгo sobre meu pau: – Jб percebi meu amor; adoro ser admirada, isso me deixa muito excitada!… Ainda estбvamos dentro do carro e na rua com ela apertando meu pau por cima da calзa: – Calma sua tarada, deixa guardar o carro primeiro!… Abri o portгo, e assim que parei o carro na garagem ela jб foi abrindo minha calзa e tirando meu pau pra comeзar um delicioso boquete. Dalva sabia chupar uma pica: – Vai safada! Chupa! Chupa e me faz gozar na sua boca!… Dalva chupou, punhetou e lambeu atй soltar toda minha porra dentro de sua boca. O Prefeito; que tinha direito de tambйm frequentar o clube, passou a estar com a gente constantemente e conversava mais com Dalva do que comigo. Tive que viajar pela firma, ficando fora por quatro dias e quando voltei Dalva me disse que tinha conhecido a fazenda de Daniel. Jб fiquei com a pulga atrбs da orelha e procurei ser o mais natural possнvel. Perguntei o que ela fez na fazenda e uma das coisas que ela disse foi de ter passeado a cavalo com Daniel pra conhecer toda a fazenda: – Vocк foi sozinha com ele?… Ela: – Iiiiiiih, jб vem vocк com seu ciъme; fui sim, mas nгo aconteceu nada demais!… : – E se ele te agarrasse a forзa no meio do mato?… Ela fez uma carinha de menina sapeca: – Ele forte daquele jeito eu nгo ia conseguir escapar, nгo й? E se tivesse acontecido alguma coisa, vocк ia me abandonar?… Jб comecei a imaginar aquele homem fazendo todas as indecкncias com minha linda esposa: – Vocк sabe que eu te amo acima de tudo; mas estou achando que vocк estб gostando do assйdio do Daniel!… : – Sabe o que й meu amor? Eu adoro saber que ele anda me desejando!… : – Vocк estб pensando em ceder aos desejos dele?… : – Eu cederia sб se fosse com o seu consentimento!… : – E vocк acha que eu vou lhe dar tгo permissгo?… Terminamos ali a nossa conversa. Dias depois; dentro do clube, o Prefeito nos convidou pra ir a sua fazenda: – Vamos; assim vocкs almoзam comigo na fazenda!… Olhei pra Dalva que sorrindo: – Vamos meu amor, adorei andar a cavalo!… Fomos no carro do prefeito e Dalva logo sentou na frente com ele vestindo apenas um saнda de praia sobre o biquнni. Sб tinha uma empregada preparando o almoзo e Dalva pouco tempo depois: – O Daniel estб me chamando pra ir com ele ali no pomar pra pegarmos algumas frutas!… : – Estou achando que ele pretende fazer alguma coisa com vocк!… : – Vocк acha meu amor? Que ir com a gente?… : – Nгo! Mas depois vou querer saber tudo que ele fez contigo, tб bom?… Praticamente estava dando meu consentimento pra ela ceder aos desejos daquele homem. Quinze minutos depois, saн da casa e vendo um caminho que ia em direзгo do pomar todo arborizado, fui andando como se estivesse apreciando a natureza… Ao ouvir vozes, fui me escondendo por entre бrvores e matos atй avistar os dois. Dalva estava sem a saнda de praia e a parte de cima do biquнni e Daniel a agarrava e mamava nos seus suculentos seios… Continuei escondido vendo que Dalva estava adorando; gemia: – Oh Daniel, como vocк й abusado, estб se aproveitando de mim; sou uma mulher casada!… Ele pulando com a boca dum seio pro outro: – Vocк й a mulher casada mais gostosa que jб vi!… : – Entгo chupa! Chupa! Estou adorando!… Involuntariamente eu alisava meu pau duro por cima da minha bermuda. Mas quando vi Daniel sacando a sua pica e Dalva ficando de joelhos jб imaginei o que a safada ia fazer… Mas continuei olhando Dalva abocanhar aquela enorme pica e chupar como se fosse o melhor sorvete que podia existir. Depois de alguns minutos de boquete, Daniel tirou a parte de baixo do biquнni e fez ficar ajoelhada sobre a saнda de praia… Sabendo o que ia ver em seguida, tirei meu pau pra fora e fiquei me punhetando sem parar de olhar. Daniel teve que arquear um pouco os joelhos pra conseguir a altura pra enfiar na buceta de Dalva: – Isso Daniel, mete, mete gostoso!… Ele segurando sua cintura com as duas mгos comeзou a socar violentamente fazendo Dalva soltar gritinhos de prazer a cada socada. Quando ouvi Dalva gritando que estava gozando aumentei o ritmo da punheta e gozei… Daniel continuou socando e eu procurei me afastar antes que fosse descoberto. Meia hora depois os dois chegaram carregando algumas frutas como se nada tivesse acontecido. Depois do almoзo Daniel nos deixou em casa e logo jб fui perguntando o que tinha acontecido no pomar: – Vocк nгo vai ficar aborrecido comigo?… Jб estava ficando novamente de pau duro. Dalva me contou tudo o que aconteceu realmente, sem saber que eu tinha visto: – Vocк gostou nгo й safada?… : – Gostei; mas fique sabendo que amor eu sб sinto por vocк!… Comi sua bucetinha sabendo que ela devia estar ainda recheada com a porra de Daniel. Dalva foi outras vezes na fazenda com Daniel e me contava com todos os detalhes do que tinham feito; eu ia ouvindo e metendo na sua b
ucetinha ou no seu cuzinho chamando-a de putinha; safada; cachorra… Dalva adorava e ainda me pedia pra lhe dar umas palmadas na bunda.

ADORO SABER QUE TENHO UMA ESPOSA PUTINHA.

Sou o Hugo, tenho 30 anos e sou casado com Dalva que tem 24. Recentemente fui transferido para a filial da uma fábrica onde trabalho como gerente de produção, em uma cidade do interior. Toda a cidade gira em torno da fábrica e tem poucos locais pra diversão: Poucos bares; um cinema bem pequeno; um campo de futebol e um clube até bem estruturado que pertence a fábrica e frequentado pelos funcionários mais graduados. Logo no primeiro dia em que fui ao clube com minha esposa, ela já causou um impacto ao trajar um minúsculo biquíni (fio dental) que muitos na cidade não estavam acostumados a ver. Dalva, além de uma linda mulher, tinha um corpo estrondoroso: Morena; seios fartos; bumbum perfeito e coxas maravilhosas. Notei que os homens a comiam com seus olhares e as mulheres faziam caras feias… Não senti ciúmes; pelo contrário, me senti um Rei todo orgulhoso desfilando com sua linda rainha. Quando começamos a praticar tênis na quadra do clube com Dalva trajando uniforme apropriado (blusa e minissaia brancas), que dependendo de seus movimentos aparecia até sua calcinha, tinha até platéia pra nos assistir… Dalva parecia nem se importar com tantos olhares. Em uma festa no clube, Dalva foi com um vestido tubinho vermelho que realçava todas as suas curvas e bem decotado que deixou muitos homens de boca aberta. Foi nessa festa que conhecemos o prefeito (vou chamar de Daniel) que também era um grande fazendeiro. Daniel nos convidou pra sentar na sua mesa com sua esposa Eva… Daniel, apesar de ser um homem de poucas instruções era até bem simpático. Depois de algumas danças e de ingerirmos alguns copos de bebidas, Daniel me pediu se podia dançar com a Dalva… Nem eu, nem Dalva tivemos como negar. Fiquei sentado ao lado de Eva; que parecia nem se importar com o marido, sá olhando os dois no meio do salão e o Prefeito dando o maior amasso na minha esposa com uma de suas mãos quase na sua bunda. O pior que notava que a conversa entre os dois devia estar bem interessante; Dalva olhava pra cima (Daniel era bem alto), e sorria pra ele… Confesso que senti uma pontinha de ciúmes. Voltando pra casa: – O que você e o Daniel conversaram?… : – Nada de mais meu amor, fofocas de uma cidade pequena!… Sorri pra não demonstrar que estava com ciúmes: – Pra dançar com você ele te apertou bem, não foi?… Ela me olhou: – Ficou com ciúmes?… Fingi: – Claro que não! Sá achei estranho ele ficar com a mão quase na sua bunda e você nem se importar!… : – Hahahaha! Tá com ciúmes e não quer confessar!… : – Não é ciúmes; sá gostaria que você não me escondesse nada!… : – Tá bom meu amor, vou falar a verdade; o Daniel é muito safado!… : – É???? O que ele fez?… Ela olhando pra ver a minha reação: – Ele disse que sou muito bonita e muito gostosa!… Procurando não me alterar: – E o que mais???… Ela voltando a rir: – Ele ficou bem excitado!… Parei o carro já no portão de casa e olhei pra ela com cara feia: – Calma meu amor! Não tive como não perceber dançando com ele e ele me apertando daquele jeito!… Senti uma mistura de ciúmes e excitação: – Porra Dalva! Acho que mais da metade dos homens dessa cidade andam te desejando!… Ela me beijando e passando a mão sobre meu pau: – Já percebi meu amor; adoro ser admirada, isso me deixa muito excitada!… Ainda estávamos dentro do carro e na rua com ela apertando meu pau por cima da calça: – Calma sua tarada, deixa guardar o carro primeiro!… Abri o portão, e assim que parei o carro na garagem ela já foi abrindo minha calça e tirando meu pau pra começar um delicioso boquete. Dalva sabia chupar uma pica: – Vai safada! Chupa! Chupa e me faz gozar na sua boca!… Dalva chupou, punhetou e lambeu até soltar toda minha porra dentro de sua boca. O Prefeito; que tinha direito de também frequentar o clube, passou a estar com a gente constantemente e conversava mais com Dalva do que comigo. Tive que viajar pela firma, ficando fora por quatro dias e quando voltei Dalva me disse que tinha conhecido a fazenda de Daniel. Já fiquei com a pulga atrás da orelha e procurei ser o mais natural possível. Perguntei o que ela fez na fazenda e uma das coisas que ela disse foi de ter passeado a cavalo com Daniel pra conhecer toda a fazenda: – Você foi sozinha com ele?… Ela: – Iiiiiiih, já vem você com seu ciúme; fui sim, mas não aconteceu nada demais!… : – E se ele te agarrasse a força no meio do mato?… Ela fez uma carinha de menina sapeca: – Ele forte daquele jeito eu não ia conseguir escapar, não é? E se tivesse acontecido alguma coisa, você ia me abandonar?… Já comecei a imaginar aquele homem fazendo todas as indecências com minha linda esposa: – Você sabe que eu te amo acima de tudo; mas estou achando que você está gostando do assédio do Daniel!… : – Sabe o que é meu amor? Eu adoro saber que ele anda me desejando!… : – Você está pensando em ceder aos desejos dele?… : – Eu cederia sá se fosse com o seu consentimento!… : – E você acha que eu vou lhe dar tão permissão?… Terminamos ali a nossa conversa. Dias depois; dentro do clube, o Prefeito nos convidou pra ir a sua fazenda: – Vamos; assim vocês almoçam comigo na fazenda!… Olhei pra Dalva que sorrindo: – Vamos meu amor, adorei andar a cavalo!… Fomos no carro do prefeito e Dalva logo sentou na frente com ele vestindo apenas um saída de praia sobre o biquíni. Sá tinha uma empregada preparando o almoço e Dalva pouco tempo depois: – O Daniel está me chamando pra ir com ele ali no pomar pra pegarmos algumas frutas!… : – Estou achando que ele pretende fazer alguma coisa com você!… : – Você acha meu amor? Que ir com a gente?… : – Não! Mas depois vou querer saber tudo que ele fez contigo, tá bom?… Praticamente estava dando meu consentimento pra ela ceder aos desejos daquele homem. Quinze minutos depois, saí da casa e vendo um caminho que ia em direção do pomar todo arborizado, fui andando como se estivesse apreciando a natureza… Ao ouvir vozes, fui me escondendo por entre árvores e matos até avistar os dois. Dalva estava sem a saída de praia e a parte de cima do biquíni e Daniel a agarrava e mamava nos seus suculentos seios… Continuei escondido vendo que Dalva estava adorando; gemia: – Oh Daniel, como você é abusado, está se aproveitando de mim; sou uma mulher casada!… Ele pulando com a boca dum seio pro outro: – Você é a mulher casada mais gostosa que já vi!… : – Então chupa! Chupa! Estou adorando!… Involuntariamente eu alisava meu pau duro por cima da minha bermuda. Mas quando vi Daniel sacando a sua pica e Dalva ficando de joelhos já imaginei o que a safada ia fazer… Mas continuei olhando Dalva abocanhar aquela enorme pica e chupar como se fosse o melhor sorvete que podia existir. Depois de alguns minutos de boquete, Daniel tirou a parte de baixo do biquíni e fez ficar ajoelhada sobre a saída de praia… Sabendo o que ia ver em seguida, tirei meu pau pra fora e fiquei me punhetando sem parar de olhar. Daniel teve que arquear um pouco os joelhos pra conseguir a altura pra enfiar na buceta de Dalva: – Isso Daniel, mete, mete gostoso!… Ele segurando sua cintura com as duas mãos começou a socar violentamente fazendo Dalva soltar gritinhos de prazer a cada socada. Quando ouvi Dalva gritando que estava gozando aumentei o ritmo da punheta e gozei… Daniel continuou socando e eu procurei me afastar antes que fosse descoberto. Meia hora depois os dois chegaram carregando algumas frutas como se nada tivesse acontecido. Depois do almoço Daniel nos deixou em casa e logo já fui perguntando o que tinha acontecido no pomar: – Você não vai ficar aborrecido comigo?… Já estava ficando novamente de pau duro. Dalva me contou tudo o que aconteceu realmente, sem saber que eu tinha visto: – Você gostou não é safada?… : – Gostei; mas fique sabendo que amor eu sá sinto por você!… Comi sua bucetinha sabendo que ela devia estar ainda recheada com a porra de Daniel. Dalva foi outras vezes na fazenda com Daniel e me contava com todos os detalhes do que tinham feito; eu ia ouvindo e metendo na sua b
ucetinha ou no seu cuzinho chamando-a de putinha; safada; cachorra… Dalva adorava e ainda me pedia pra lhe dar umas palmadas na bunda.

conto pai e filhacomo comer o cu da namoradacasais se masturbandotravesti dando pela primeira veztraindo escondidoexibicionismo na praiaamamentacao lesbicaesposa garganta profundachupando pau sujogaucha putabatendo punheta escondidoesposa metendo muitota doendo tiracomeu a amiga bebadacontoerotico categoriagemendo na punhetafoto de sexo esplicitopiroca finacomendo a amiga da minha namoradamae dando a buceta pro filhoaluno come professoradotado de sungapunheta no cunhadocine comodoro ribeirão pretocunhado taradoprimo sexotroca de casais madurosesposa garganta profundagostosas de saiasmijando no maridocasal bebendo porraconto erótico sogramédica safadaheteros se pegandosexo.uol.com.brmae masturbandocontos eroticos milfcontos eróticos vídeosadomasoquismo vídeosconto de estupronaturismo teencasada bundudazoofilia com jumentogaroto de programa saltomeu tio me comeucasa de swing cuiabáfoda com a empregadacoroasgaynovinho gozando muitosaunas gays em são paulogozando com o amigosexo entre tio e sobrinhomasturbação contosadolecentes gostosasconto com fotofamilia sacana completo downloadswing camboriuhomem chupando rolacomendo a pastoragordinha dancando funkencoxando maenovinha doida por sexobeijo grego no maridocoroas mijandocontos erotivosesposa dando pra outrocomendo a filha peitudanamorada mamandobucetaocabeludoprofessora dando pra alunoabusando da bêbadaamigo pauzudoscat lesbicasgosando no cu do viadocontos eroticsultimos contos incestobuceta em alemãotransei com minha professorasogras tesudascontos eróticos gay recentesrebola pra mimcontos eroticos sem imagenspai comendo filho gaydeixa eu comer seu cuzinhovelha da bunda granderoçando na bundacontos eroticos bisexualsexo debaixo do cobertor